segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Coração mecânico de estudante

por Arthur,

E aí galera, nós estudantes da oitava série do Colégio de Aplicação em homenagem aos cinquenta anos da UFSC desenvolvemos um trabalho em que imaginamos a Universidade Federal de Santa Catarina daqui a cinquenta anos, e aqui está o meu texto sobre a UFSC daqui à 50 anos.

"Bem, meu nome é Altair, tenho 65 anos, sou formado em tecnologia, curso oferecido pela UFSC desde 2012, e onde eu encontrei minha vocação. Dentro desse curso eu me especializei na área da tecnologia do corpo humano, onde posso melhorar a vida humana através dos meus projetos, a maioria dos meus projetos que desenvolvo são para a criação de próteses mecânicas do corpo, como por exemplo, braços, pernas, mãos, pés, mas recentemente desenvolvi um coração cibernético, no qual dediquei minha vida inteira para realizar.

Fui premiado por várias instituições cientificas, por causa de meu projeto, mas por outro lado fui muito atacado e criticado pela Igreja Católica que protestou contra o coração cibernético, alegando que ''o coração das pessoas não pode ser mudado por uma coisa mecânica''.

Mas enfim, estou muito feliz por saber que todas as minhas pesquisas não foram em vão, mas que irão salvar milhôes de pessoas daqui em diante, pois graças aos meus projetos vou ajudar pessoas que antes esperavam meses por um transplante de coração, ou então, pessoas que passavam a vida inteira sem poder andar e ficavam de cadiras de rodas por não terem pernas, ou ainda pior, não podendo escrever pois não tinham mãos.

Mas tudo isso não teria acontecido se eu não tivesse tido o preparo que a UFSC me deu, fui desde pequeno preparado para a vida pelo Colégio de Aplicação, para depois entrar no curso de tecnologia, na verdade eu poderia ter me formado em teatro, mas não me suscederia em minha carreira pois não sei atuar e mentir.

E assim finalizo minha transmição."

Nenhum comentário:

Postar um comentário