quarta-feira, 30 de outubro de 2013

O Melhor Amigo do Homem

por Pedro Henrique,


Os cães são o nosso elo com o Paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Cachorros amam seus amigos e mordem seus inimigos, bem diferente das pessoas, que são incapazes de distinguir o amigo e o inimigo.

 Hoje em dia quanto mais temos, mais felizes seremos, será que isso é o real objetivo da nossa vida? Sinto que o mundo está cheio de pessoas ruins, que desconhecem a real essência da vida. E é ai que entram os cães, que tem como objetivo encontrar essas pessoas e preenche-las com o que realmente importa amor e carinho.

Convivo com cachorros há 14 anos e com eles aprendi muitas coisas que nunca aprenderia com os seres humanos, já que eles são irracionais em seus atos.

Ter um cão é saber, o que é e como é, ser realmente amado, pois não há nenhum outro ser vivo que nos ame incondicionalmente como eles.

Uma reportagem mostrou que uma mulher agrediu fisicamente seu cachorro, na frente de sua filha uma criança de 5 anos. Com isso dá para perceber o quanto essa pessoa é ruim. E a justiça não faz nada, apenas observa.




 “Para um cão, você não precisa de carrões, de grandes casas ou roupas de marca. Símbolos de status não significavam nada para ele. Um graveto já está ótimo. Um cachorro não se importa se você é rico ou pobre, inteligente ou idiota, esperto ou burro. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Dê seu coração a ele, e ele lhe Dara o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. De quantas pessoas você pode falar isso? Quantas pessoas fazem você se sentir raro, puro e  especial? Quantas pessoas fazem você se  sentir extraordinário?” 
Marley & Eu

Créditos da imagem: http://clubedazueira.blogspot.com.br/2009/07/caes-os-melhores-amigos-dos-homens.html

domingo, 27 de outubro de 2013

Estudantes do Aplicação na 1ª FEBRAT

por José Carlos,

No período de 21 a 24 de outubro,  estudantes e professores do Colégio de Aplicação-UFSC participaram da 1ª Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas, em Belo Horizonte - MG. No evento participaram pesquisadores do Ensino Fundamental e Médio. O projeto Pés na Estrada contou com os seguintes trabalhos: 


Estudante-pesquisador
Turma
Trabalho
Orientador
Carol Gomez
2º. C
As faces desconhecidas das Inconfidentes.


Fernando Leocino da Silva
Eryck Schmitz
2º. B
Julia Pozzetti
1º. D
Os santos não falam do céu.
Luiz Henrique Nicolau
1º. C
Daniele Cristina Dias
9º. A
“O que se vê pode não ser!” Mídia e MAB no entendimento dos moradores de Itá (SC)
Laís Prudêncio Scheffer Silva
9º. C
Ricardo Munarim Kruger
9ºA
Construção  da Usina Hidrelétrica Itá: um estudo sobre os impactos sociais e ambientais
José Carlos da Silveira
Maria Eduarda V. Caetano
9ºC
Giulia Gaia Peres Pereira
9ºB
Aspectos econômicos de itá: fontes de renda pós construção da uhe itá


Lisiane Vandresen
Maria Luiza dos Santos Rosa
9A
Bruna Schiavini Hoepers

Legislação para a construção de hidrelétricas: será que as leis estão sendo realmente cumpridas na uhe itá?
Lesliane Lacerda dos Santos

Isabela Popenke Paes
9°A
Impactos sociais da UHE Itá: como os cidadãos reagiram à construção da hidrelétrica


Giselle de Souza Paula Pires
Luiz Felipe Domingos
9ºB
Maria Eduarda Sirydakis

Reportagem: aproximando sala de aula e pesquisa de campo

Nara Caetano Rodrigues
Natália Dias Goulart



























Parabéns a todos(as) pelo envolvimento!




sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A Grande Ilha de Plástico do Oceano Pacífico

por Leandro,
        É uma região do Oceano Pacífico de extensão incerta, sendo descrita como do tamanho dos EUA. Suas porções são ligadas por uma fina corrente de 3.720 km de comprimento chamada de Zona de Convergência Subtropical. A Porção de Lixo Oriental flutua entre o leste do Havaí e a Califórnia e a Porção de Lixo Ocidental flutua entre o leste do Japão e o oeste do Havaí. As porções de lixo apresentam vários perigos à vida marinha, à pesca e ao turismo.


É composta principalmente de plástico (90%), proveniente das costas marítimas, e é de difícil detecção, já que os satélites não conseguem captar sua presença, sendo possível avistá-la somente a partir de embarcações marítimas. Esta "massa plástica" flutua e se envolvem no giro oceânico devido às correntes oceânicas. Segundo Patrick Deixonne (explorador e pesquisador francês), ecologistas e cientistas são os únicos interessados em acabar com o problema, uma vez que a área oceânica onde se localizam a massa de dejetos se encontra em águas pouco utilizadas pela navegação mercantil e turística.

O Impacto na Vida Marinha
Milhões de aves, peixes e outras espécies que habitam os oceanos estão morrendo diariamente por causa da irresponsabilidade humana. A quantidade de plástico em circulação no mar não tem preço e atualmente estima-se que há, pelo menos, cinco ilhas de plástico flutuante puro que se acumulam nas corrente oceânicas que são verdadeiras armadilhas mortais para o reino animal.
 







Quinze anos atrás, foi descoberto esta horrível sopa de plástico no meio do Pacífico Norte, e a partir desse momento as pessoas começaram a perceber o quão irresponsável é jogar plástico em qualquer lugar  ou usar este material a esmo sem qualquer empatia com o planeta. Infelizmente, a poluição da água não diminuiu, pelo contrário, estão sendo detectadas mais quatro mega manchas de lixo flutuante  e de acordo com os cientistas, estas se expandem a cada dia mais e não desapareceram até pelo menos 500 anos, mesmo que a humanidade pare de jogar neste momento quaisquer dejetos plásticos ao mar.

Estudiosos do instituto francês Ocean Scientific Logistic (OSL) acreditam que os oceanos da Terra já estejam entupidos com algumas dezenas de milhões de toneladas de entulho boiando. O Atlântico Sul – que banha o litoral do Brasil – é um deles. Há exatamente um ano, jornalistas e pesquisadores brasileiros já haviam detectado grandes manchas de lixo próximo da ilha Ascensão, localizada no meio do Atlântico, entre a costa do nordeste brasileiro e o norte da África. A continuar assim, quem sabe teremos uma grande ilha de plástico em nosso litoral nos próximos anos. Se não a quisermos por perto será preciso colocar em prática urgentemente o consumo racional, ou seja, coisas mais duráveis e menos descartáveis, acabar com os lixões, incrementar a reciclagem, nos tornar consumidores mais conscientes.
ASSISTA AO VÍDEO:  http://vimeo.com/36586523 


Conhecendo um pouco sobre skate

por Pablo,



Não se tem com exatidão onde e quando apareceu o Skate, mas sabemos que foi em uma época onde reinava o surf. Podemos dizer que surgiu no início dos anos 1960 na Califórnia. No Brasil, por volta de 1965. Os surfistas queriam diversão nas ruas, porque era época de seca na região e marés muito baixas. O skate consiste em deslizar sobre o solo e obstáculos equilibrando-se numa prancha, chamada de shape, com quatro rodas pequenas e dois eixos chamados “trucks”.

Com ele faz-se manobras, com baixos e altos graus de dificuldade.  Por ser um esporte radical e divertido, consegui uma entrevista com um adolescente que pratica skate, chamado Henrique Cunha Paiva de Menezes, que conta um pouco sobre a história do skate e preferências dele.

Vamos a entrevista:

Nome: Henrique Cunha Paiva de Menezes       
Idade: 14 anos
Profissão: Estudante   
     
(Pablo) Uma manobra para acertar de primeira? 
(Henrique) Fakie flip.

(Pablo) A melhor pista que você já andou?
(Henrique) Trio Skate Park Indoor.


(Pablo) Tamanho de roda?
(Henrique) 54 mm.

(Pablo) Ganhou shape novo ou tênis novo?
(Henrique) Os dois.

(Pablo) Skate shop predileta?
(Henrique) Matriz skate shop.

(Pablo) Último vídeo de skate que assistiu?
(Henrique) Rodrigo Tx, entrevista na Califórnia cidade skate.
(Pablo) Jogo de skate favorito?

(Henrique) Skate três.
(Pablo) O site que você mais visita?
 (Henrique) Youtube e Facebook.

Fonte: http://tribodoskate.wordpress.com/origem-e-historia-do-skate-2/

Crédito da imagem: Pablo Pagani Abreu

Primavera

por Pietra,

No dia 23 de setembro temos o começo de uma nova estação, a primavera. Ela inicia após o inverno e antecede o verão.
É um período em que a natureza fica bela, presenteando o ser humano com flores coloridas e perfumadas. A função deste florescimento é a de promover a reprodução de muitas espécies de árvores e plantas.
A característica mais marcante da primavera é o aparecimento das flores, em espécies e quantidades diferentes’’[1]

‘’A união das boas fases do solo, do clima e da temperatura ajudam as flores a brotarem. Essa também é a época de preparação para o verão, quando os frutos amadurecem. Por isso, as plantas precisam ser fecundadas antes, para que os frutos sejam produzidos a tempo. As cores das flores chamam a atenção dos polinizadores: abelhas, mosquitos e outros insetos.’’[2]
A Primavera do hemisfério norte tem o nome de "Primavera boreal", se inicia no dia 21 de março e termina em 21 de junho, e a do hemisfério sul de "Primavera austral", inicia dia 23 de setembro e termina a 21 de dezembro. A cada dia que se aproxima do verão, o dia torna-se mais longo e a noite mais curta, aumentando assim, a insolação do hemisfério respectivo.

Inconsciente Coletivo

 por: Lakshmi Jaya              

                         
Olivia acordou atrasada, se arrumou em poucos minutos e desceu correndo as escadas do seu prédio para conseguir pegar a tempo seu ônibus.

Valeu a pena sair sem pentear o cabelo, escovar os dentes, tomar um suco ou passar uma leve maquiagem para mascarar suas olheiras, proveniente de uma rotina cheia de trabalhos, provas, treinos de alongamento e de elasticidade.

Cansada, em pé no ônibus, Olivia sacode de um lado pro outro segurando no ombro direito a mochila pesada. Observa as pessoas enquanto resmunga e critica a inutilidade daqueles que estão sentados e raramente oferecem-se para segurar uma mochila ou as sacolas de um passageiro em pé.

Chegando ao Ticen (terminal de ônibus), Olivia desce do ônibus, finalmente podendo respirar um ar livre. Suas pernas quase com cãibra após ficarem 40 minutos rigidamente em pé tendo que sustentar além de seus 59 quilos, uma mochila lotada de livros, pastas e bugigangas. Olivia caminha saltitante, sorrindo para o dia e brincando com os feixes de sol que cegam seus olhos e aquecem sua pele ressecada pelo inverno.

De uma plataforma para a outra, um pouco antes da catraca, a garota vê uma pessoa caída no chão, indiferentemente passa os olhos pela vítima (Egoísta? Não. Do que adianta um olhar de pena?).  Olivia passou reparando no acúmulo de pessoas ao redor da situação. A grande maioria das pessoas eram fofoqueiras, ficavam só olhando, como se isso fosse ajudar em algo.

Em frente ao próximo ônibus, Olivia entra pela porta do meio e percorre-o lentamente na esperança de encontrar um assento vago. No fundo do ônibus, após procurar por uns segundos, encontra um banco desocupado. Não é o da janela, mas ao menos sentada ela poderia tirar um cochilo. Encostou levemente a bunda no banco, quando de repente entra um idoso ao veiculo. “Ah droga!” – pensa Olivia. O senhor passa a catraca e fica em pé, se segurando bem ao lado dela. Olivia olha para os lados, na esperança de alguém tomar alguma atitude de educação, mas já era de se esperar, ninguém cede o assento. Olivia fecha os olhos.

Levanta-se contra a vontade de suas pernas tremulas e oferece seu lugar para o senhor. Ele dá em troca um sorriso satisfatório e se senta alegremente no banco.
E Olivia mais uma vez está ali, de pé, com a mochila pesada batendo de um lado pro outro. “Ah como é bom ser diferente, ser educada” – pensa a menina. Abre os olhos.

Chegou ao seu ponto de descida e o senhor ainda está parado de pé ao seu lado. Olivia sonhadora espera uns instantes, e quando toma vergonha na cara, se levanta para puxar a campainha do ônibus.  De cabeça baixa, e com o rabo entre as pernas, Olivia sai do veiculo envergonhada por ter sido mais uma individualista que pela busca do conforto fecha os olhos e dorme diante das obrigações sociais.


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Eclipse de Uma Paixão: Uma visão panorâmica

por Pedro Henrique e Mariana Machado,

Eclipse de uma paixão, dirigido por AgnieszkaHolland, a mesma diretora de Filha da Guerra, é uma fascinante história carregada de conflitos e paixões inesperadas. Conta à história do revolucionário poeta Francês Arthur Rimbaud, interpretado por um dos grandes nomes do cinema, Leonardo Di Caprio e David Thewlis, representando Paul Verlaine.

Após receber cartas contendo, poemas de Rimbaud, um literário adolescente de 16 anos, Verlaine fica encantado pelo talento e espontaneidade do jovem.Determinado a apresenta-lo ao círculo de escritores, Paul o convida para ir à Paris.

Sem conhecimento da sua idade, Verlaine se espanta e percebe que Arthur não é um simples poeta, mas também um adolescente arrogante, audacioso e excêntrico. Rimbaud tinha uma ideologia diferente dos demais poetas, ele acreditava que para ser fiel aos seus textos tinha que ter mais de uma percepção do que seria o mundo, se abrindo a todo tipo de experiência. Isso foi o suficiente para despertar em Paul uma paixão avassaladora por Rimbaud, nascendo entre eles um grande romance de intrigas e contradições.

Embora Verlaineser casado com a doce Mathilde, mãe de seu único filho, nada o impediu de que ele se entregasse totalmente a essa paixão, largando-os e fugindo com Rimbaud, seu verdadeiro amor. Contudo, o homossexualismo era visto como uma conduta não só imoral e anormal, mas também como um comportamento estranho, já que a igreja ainda tinha uma grande influencia na formação do estado-nação, assim ditando a regra de que o homem serve somente a mulher e tudo que for diferente disso seria crime.

Ao fugir de sua casa, abandonando sua esposa e filho, Verlaine sem um tostão vai morar junto com Rimbaud, no entanto o que era pra ser uma experiência que despertaria a criatividade de Arthur acabou se tornando em longos dias, meses e até mesmo anos fugindo da policia, falidos, e utilizando o pouco dinheiro que tinham em bebidas.

Enquanto Rimbaud apresentava características sádicas e bipolares, Verlaine era um alcoólatra violento, masoquista e submisso a Arthur, contradições que unirão e ao mesmo tempo os separarão. Vendo que ao lado de Paul, Rimbaud não iria pra frente, ele decide o abandonar, despertando em Velaine uma fúria muito grande, porém durante esse tempo afastados ambos se comunicavam através de cartas românticas e apaixonadas.

Decidido a se vingar, por esse tempo todo estarem afastados por culpa de Arthur, Paul vai até o local em que Rimbaud está e acaba atirando nele. Desapontado e ao mesmo tempo assustado Arthur entrega Paul a policia, vendo que seu amigo estava insano e mais violento que o normal.

 Verlaine permanece na prisão durante dois anos, enquanto isso Arthur vai para a África e acaba tornando-se um missionário. Lá descobre que tem câncer, fazendo com que ele volta para a França, em busca de tratamento, porém resolve voltar para a África falecendo lá aos 37 anos.


 O filme conta tudo isso de uma forma crua, mas de uma maneira que preserva e destaca características e momentos muito importantes durante a passagem do filme, até mesmo as cenas mais quentes foram apresentadas de um jeito apaixonante e delicado, sem ser rude ou vulgar. 

Créditos da imagem:

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Platão

por Yanka,

“O homem retrata-se inteiramente na alma; para saber o que é e o que deve fazer, deve olhar-se na inteligência, nessa parte da alma na qual fulge um raio da sabedoria divina.”

Platão (427 – 347 a.C.) nasceu em Atenas na Grécia, no dia 7 de maio  de 427 a.C. Seu nome era Aristócles, mas recebeu o apelido de Platão (ombros largos em grego). Era descendente de Sólon, que foi um dos maiores legisladores de Atenas.

Fazia parte de uma das famílias mais nobres de Atenas. Seus pais chamavam-se Aríston e Perictioné, seus irmãos chamavam-se Adimanto e Gláucon, e sua irmã chamava-se Potone. A família de Platão era muito tradicional. Por isso, grande parte dos familiares eram ligados à política. Platão, tendo influência da família, se interessou pela área. Platão recebeu boa educação, estudou leitura e escrita, ginástica, música, pintura e poesia. Iniciou seus estudos filosóficos com o sofista Crátilo, discípulo de Heráclito, e com Hermógenes, discípulo de Parménides.

Aos 18 anos, conheceu Sócrates, que foi seu mestre até o mesmo ser condenado a morte em 399 a.C. Desde cedo, Platão foi discípulo de Sócrates, estudando e aprendendo sobre as virtudes humanas. Adotou o lema de seu mestre, “O sábio é o virtuoso”.

Decepcionado com a democracia ateniense e também correndo risco de ser perseguido, por ter sido discípulo de Sócrates, Platão passou a viajar por diferentes lugares, em busca de novos aprendizados. 

            A convite de Dionísio, o velho, foi a Siracusa, no sul da Itália, onde se relacionou com os discípulos de Pitágoras, filósofo e matemático da época. A convite de Dionísio o jovem, sucessor do tirano de Siracusa, empreendeu uma segunda viagem à Sicília com objetivo de por em prática suas ideias de reforma política, apesar que nunca tomou parte ativa na política.

            Foi á Mégara, onde estudou geometria com um grande matemático da época chamado Euclides. Foi ao Egito e estudou Astronomia. Fez uma viagem para Cyrene, no norte da África, onde aperfeiçoou-se em matemática.

            Em Crotona, no sul da Itália, manteve contato com os discípulos de Pitágoras. Platão desenvolveu suas próprias teorias a partir de seus estudos e conhecimentos. Foi ao sul da Itália ao convite do mesmo Dionísio, culminou em fuga por estar implicado nas lutas políticas do Estado.

Ao voltar para Atenas, Platão fundou sua escola filosófica chamada “Academia”, no ano de 387 a.C. A Academia era um espaço de estudos filosóficos, onde os discípulos se reuniam para estudar Filosofia, Ciências, Matemática, Geometria, Astronomia, Política, etc. Com relação a academia, o que se pode dizer com segurança é que o seu fundador soube assentar a nova Instituição em alicerces.Em toda a história da cultura Grega não há notícias de uma escola desse tipo que durasse 900 anos.

Platão escreveu mais de 30 obras, como “Menexeno”, “Ménon”, “Eutidemo”, “Crátilo”, “O banquete”, “Fédon”, “Fedro”, “Teeteto”, “Parmênides”, “O sofista”, “O político”, “Timeu”, “Crítias”, “Filebo”, “As leis” e uma de suas mais conhecidas obras, “A República”.

A principal ideia em todos os ensinamentos de Platão, está na Teoria das Ideias. Que representa as Ideias como um modelo, a fórmula do mundo sensível. O filósofo coloca isso como sendo a verdadeira realidade absoluta e eterna, onde os objetos sensíveis não são mais do que reflexos do mundo das ideias. 

Em “A República” o filósofo descreve o que seria uma sociedade ideal, baseada em valores humanos a partir das virtudes encontradas na sociedade e no indivíduo.

A cidade para ser considerada perfeita, precisa ter as quatro virtudes básicas: prudência (sabedoria), o valor (coragem), a temperança (equilíbrio) e a justiça. Para ser considerada uma cidade prudente, quem a delibera (comanda) deve o fazer acertadamente. A cidade pode ser considerada corajosa quando seus defensores possuem a virtude do valor. A coragem não representa a capacidade de se atirar cegamente ao perigo. Representa a capacidade de distinguir o bem e o mal.  

O homem é dito temperante no momento em que sua melhor parte domina a pior, caso contrário, é dito escravo ou intemperante. A cidade é dita temperante quando existe harmonia entre a parte que delibera e a que obedece (a parte mais sábia libera e os menos sábios obedecem).  A temperança de uma cidade não provém de uma das partes que a compõe, e sim da harmonia do todo.

A última das virtudes é a justiça, que se forma a partir da dedicação de cada um fazer uma única coisa que estiver em conformidade com a sua natureza. Caso contrário, se houvesse uma troca de ofício ou multiplicidade, consequentemente, acarretaria a destruição da cidade. Esta é a maior injustiça que poderia se cometer.

Referências:
Livros : “A República” e “Apologia de Sócrates”
Sites:
http://portoalegre.nova-acropole.org.br
http://historiadomundo.com.br
http://e-biografias.net/platão/




domingo, 13 de outubro de 2013

O mundo sem dinheiro

 por  Lakshmi Jaya,
                                                 

Você já parou pra pensar como seria o nosso mundo sem a existência do dinheiro? Ou se de uma hora pra outra parassem de fabricar ele? Bom, muitas pessoas poderiam dizer que finalmente acabaria todas as guerras/conflitos existentes, ou que poderão existir. Mas, será mesmo? Se está ruim com ele, seria muito pior sem?

O dinheiro foi feito exatamente para facilitar a troca entre as pessoas. Antigamente era confuso, por exemplo, um fabricante de remédios precisando de arroz. O vendedor de arroz precisaria estar doente para comprar os seus remédios. Isso complicava muito no passado. Por isso criaram algo que simplificasse a vida de todos. A moeda.

Obviamente o comércio entraria em colapso se as pessoas tomassem essa decisão de banir o dinheiro. As cidades, conhecidas como os centros intensos da economia ficariam abandonadas, já que as pessoas teriam como única opção viver no campo a base da agricultura. Elas se organizariam em pequenas comunidades, para que cada família produzisse um item fundamental para a sobrevivência e as trocas seriam a base da confiança. As escolas, os empregos, tudo seria o fim. Pois os homens e as mulheres teriam que voltar a se dedicar ao campo, arar, colher, usar a força física e a habilidade manual. Os adolescentes e crianças iriam aprender a viver nesse novo mundo, sendo obrigados desde cedo a trabalhar na natureza.

E você acha que a humanidade ficaria melhor ou pior? A solução para todos os males seria viver em comunidade, em união com as pessoas e natureza? Ou seria melhor continuar do modo que está? Reflita e pense bem sobre isso. Quem sabe num futuro próximo isso aconteça... Ninguém sabe, não é mesmo?

Fontes: http://super.abril.com.br/cotidiano/se-dinheiro-deixasse-existir-625182.shtml



quinta-feira, 10 de outubro de 2013

The Big Bang Theory

Por: Luiz Felipe 


The Big Bang Theory é uma série de televisão que passa na Warner. Seu enredo é direcionado para comédia e cumpre o que promete.

Esta série criada por Chuck Lorre, o mesmo criador de Two End a Half Man, tem 7 personagens principais. Cinco deles são cientistas renomados e uma é garçonete. Começando por Howard Wolowitz, um engenheiro, tem uma personalidade muito peculiar, ele acha que é o bonitão de todas as garotas, mas no fim acaba sendo rejeitado por todas, e a única mulher que ficou com ele foi Bernadette. Esta personagem é uma micro bióloga e também tem uma personalidade diferente, é baixinha e meiga, mas tem tendências a ataques de stress. Penny é uma das personagens mais engraçadas, ela trabalha como garçonete e acabou conhecendo todos esses cientistas porque dois deles eram seus vizinhos, é bonita, porém veio de Nebraska, ou seja, não é nada delicada. Leonard Hofstadter já é namorado da Penny e tem baixa autoestima, pois não recebe reconhecimento da sua mãe pelo seu trabalho como físico experimental, pois ela não demonstra afeto por ele e só sabe comparar ele com seus irmãos e dizer como ele é inferior, e ele é um dos vizinhos que morava de frente para a penny. Temos também Rajesh Koothrappali que é um indiano que tem sérios ataques de depressão porque nunca consegue arranjar uma namorada. Seguindo nossa lista temos Amy Farrah Fowler é uma neuro bióloga e é a “namorada” de Sheldon, ela faz tudo por ele, mas ele não demonstra seus sentimentos o que acaba decepcionando-a muito. E por fim Sheldon, que tem a personalidade mais peculiar de todas, é um físico teórico e por isso se considera o rei da verdade, é cheio de transtornos com higiene e organização, e tem um ego maior do que se pode imaginar.

Esses personagens se conheceram da seguinte maneira, Leonard e Sheldon moram de frente pra Penny, e trabalham na Calltec. Lá eles conheceram Rajesh e Howard, depois Howard começa a sair com a amiga da Penny, Bernadette e Rajesh e Howard colocam Sheldon em um site de namoro onde ele conhece Amy.


Esta série é direcionada a comédia, mas o que eu mais gostei é que mesmo sem notar você acaba aprendendo várias coisas com ela e por isso acaba se tornando a série preferida de muitas pessoas, inclusive a minha.















terça-feira, 8 de outubro de 2013

História da Copa do Mundo de futebol da FIFA

por Leandro,



Agora vou falar sobre o torneio mais disputado no futebol mundial: A Copa do Mundo.     É uma competição internacional que ocorre a cada quatro anos. Foi criada em 1928 na França pelo presidente da FIFA Jules Rimet. Para quem não sabe FIFA é a Federação Internacional de Futebol Associado. A primeira edição ocorreu em 1930 no Uruguai, cuja seleção da casa saiu vencedora.

Com exceção da primeira copa, o torneio sempre foi realizado em duas fases. Organizada pelas confederações continentais, as eliminatórias da Copa permitem que as melhores seleções de cada continente participem da competição, que ocorre em um ou mais países-sede. O formato atual do Mundial é com trinta e duas equipes nacionais por um período de cerca de um mês.

Oito países são os vencedores do certame. Brasil, a única seleção a ter jogado todas as competições, mantém o recorde de vitórias com cinco edições de sucesso. A seleção brasileira é seguida pela Itália, com quatro troféus, um a mais que a Alemanha. A equipe que venceu a primeira edição, o Uruguai, conquistou duas vezes, como a Argentina, outro país sul-americano. Finalmente, França, Inglaterra e a atual campeã Espanha, ganharam uma Copa do Mundo cada. O Brasil e a Espanha são os únicos países que ganharam fora de seus continentes (Brasil em 1958 e 2002 e a Espanha em 2010).

O país anfitrião do Mundial é designado pela FIFA. A última edição da Copa foi realizada na África do Sul, em 2010. O Brasil foi eleito para sediar a próxima edição, em 2014. A Copa do Mundo é o segundo evento esportivo mais assistido no mundo, atrás apenas dos Jogos Olímpicos. Em 1942 e 1946 não ocorreram copas por causa da Segunda Guerra Mundial. Em 1970 a taça mudou para a que existe atualmente, pois a Taça Jules Rimet foi roubada depois da conquista do Brasil.

Abaixo a lista dos campeões das Copas do Mundo:
Ano     Sede      Final
1930- Uruguai- Uruguai 4x2 Argentina
1934- Itália- Itália 2x1 República Tcheca
1938- França- Itália 4x2 Hungria
1950- Brasil- Uruguai 2x1 Brasil
1954- Suíça- Alemanha 3x2 Hungria
1958- Suécia- Brasil 5x2 Suécia
1962- Chile- Brasil 3x1 República Tcheca
1966- Inglaterra- Inglaterra 4x2 Alemanha
1970- México- Brasil 4x1 Itália
1974- Alemanha- Alemanha 2x1 Holanda
1978- Argentina- Argentina 3x1 Holanda
1982- Espanha- Itália 3x1 Alemanha
1986- México- Argentina 3x2 Alemanha
1990- Itália- Alemanha 1x0 Argentina
1994- Estados Unidos- Brasil 3x2 Itália
1998- França- França 3x0 Brasil
2002- Japão- Brasil 2x0 Alemanha
2006- Alemanha- Itália 5x3 França

2010- África do Sul- Espanha 1x0 Holanda

Referência:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA