domingo, 17 de novembro de 2013

Trilogia: Nossa sociedade Brasileira Parte 1 - A Educação

por Luiz Felipe Domingos
Esta trilogia tem como objetivo mostrar um lado do Brasil muito vivido por todos porém pouco lutado por melhoras, isso será mostrado em três pontos: Educação, Saúde e Governo.

Nesta primeira parte da nossa trilogia iremos destacar a educação, que no caso do Brasil todos sabemos que não caminha para frente.

Há diversos empecilhos que impede o Brasil de avançar nesse ramo, um deles é a falta de formação dos professores, que se mostra um problema muito grave, pois o professor é aquele que vai guiar o aluno no seu aprendizado, e se este não tiver uma boa formação o aluno será incapacitado de aprender tudo que poderia, não podendo alcançar o potencial que poderia. Mas este não é o único problema, nem o mais grave, um dos mais sérios problemas que as escolas enfrentam são a falta de professores, pois foi mostrado que hoje em dia poucas pessoas se interessam em dar aulas, já que é um trabalho cansativo, porém importante. Foi mostrado no texto “Fazendo Contas” de Priscila Cruz, que a disciplina que sofre mais com falta de professores é matemática, só em São Paulo faltam 10 mil professores. Formas de resolver este problema seria criar bolsas de pesquisa ou alguma coisa deste tipo para que despertasse um interesse nos jovens para a vocação de lecionar, mas na maioria das vezes essas ideias não saem do papel. A prova de que isso influencia nos alunos está neste texto (Fazendo Contas), pois ao final do ensino fundamental apenas 33% dos alunos saem sabendo matemática, e ao final do ensino médio apenas 10% dos estudantes saem em rumo do trabalho sabendo a matéria.

Chegamos então ao último problema, um dos mais graves: a falta de recursos vindos do governo. Todos sabem que esse problema atinge principalmente as escolas públicas, que sem os recursos necessários como um quadro ou livros, não conseguem passar a informação para seus alunos. Tudo isso é de fato estranho já que o governo que deveria ser nosso representante acaba não mandando o dinheiro necessário para suprir as necessidades mínimas das escolas. Mas as vezes esse dinheiro é mandado porém não chega graças ao desvio que políticos corruptos fazem.


Por fim é viável dizer que quando um político rouba o dinheiro que era para ser investido em uma escola, ele não está investindo no seu bolso, mas sim retirando do seu futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário